ENCENAÇÃO

Encenação do achado de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.


Dia 08/10/2011 a partir das 19 horas, acontecerá a 10ª Encenação do achado de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

Esse ano o evento acontecerá à noite as margens do rio Mongaguá entre as avenidas Marina e São Paulo, e contará com a colaboração de atores profissionais como Ronaldo Ciambroni, Ester Góis, Arlete Montenegro, Valéria Di Pietro, Jefferson Cardoso, Denis Derkian, Marcelo Galvão, a Patotinha de Jesus e 250 pessoas da nossa Cidade envolvendo não só a comunidade religiosa como também os alunos do Pró-jovem, do Projeto Girassol, do Projeto Conviver, A Colônia dos Pescadores de Mongaguá, do Instituto Histórico e Cultural de Mongaguá, da Casa da Memória, da Comunidade Indígena da região, além da Guarda Civil Municipal, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Direção de núcleo: Eddie Coelho, Robson Guimarães.

Coreografia: professora Gina Masuzzo

Figurinos: Maria Ribeiro

Supervisão técnica de luz e som: Miguel Kenhiti Hirata Júnior

Supervisão Geral: Vera Helena Seckler Tavares de Lima e Padre Stanislaw Galant.

Apoio: Instituto Histórico e Cultural de Mongaguá

Prefeitura da Estância Balneária de Mongaguá

Secretaria de Estado de Turismo

Governo do Estado de São Paulo

A história começa em 1717 na corte portuguesa onde Dom João V ordena ao Conde Assumar para fiscalizar o ouro que estava sendo extraído no Brasil. Passa pela Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá, pelo achado da Santa nas águas do rio Paraíba e pela aclamação a qual a princesa Isabel consagra Nossa Senhora da Conceição Aparecida a Rainha do Brasil após uma promessa para que a Santa lhe concedesse a maternidade. Dando a ela também, o manto e a coroa de ouro cravejada de pedras preciosas.

Seguindo uma pequena procissão de barcos artesanais.

Atores Convidados

Arlete Montenegro

Ester Góis

 Denis Derkian

Ronaldo Ciambroni

Jefferson Cardoso

 Marcelo Galvão

Valéria Di Pietro

Secretaria estadual da Cultura entrega Plano Museológico

Notícia

20/09/2011

 

ADEQUAÇÃO – Além de Cravinhos também foram contemplados com o Plano os municípios de Franca, Botucatu, Mongaguá e São José do Rio Pardo.

Segundo a definição de diversos autores, um museu “é uma instituição de caráter permanente, administrado para interesse geral, com a finalidade de recolher, conservar, pesquisar e valorizar de diversas maneiras um conjunto de elementos de valor cultural e ambiental: coleções de objetos artísticos, históricos, científicos e técnicos”.
No município de Cravinhos foi inaugurado em 07 de outubro de 2004, o Museu de História Natural “Wladimir Chaves”, o qual conta com um grande acervo sendo referência regional. Entretanto o mesmo foi fechado para visitações no dia 30 de setembro de 2010, mas isso devido a uma completa reforma do local, bem como a adequação e catalogação do material existente.
“Realmente o museu teve suas visitações paralisadas, porque precisávamos adequar o local e também conseguir o Plano Museológico para que assim possamos implementar, administrar e organizar o museu. Mas é claro que sabemos a importância da reabertura do local, assim estamos trabalhando para que ocorra o mais breve possível”, relata a secretária da Educação e Cultura de Cravinhos, Márcia Fernandes Donato.
E o primeiro passo para que o museu de Cravinhos seja reaberto foi dado na sexta-feira (09/09), quando a secretária da Educação e Cultura e o curador do museu, Hugo Tormente Júnior, estiveram na Secretaria Estadual da Cultura para receberem o Plano Museológico, que foi assinado e entregue pelo secretário da Cultura, André Matarazzo.
“Este Plano representa um grande marco para o Museu de História Natural de Cravinhos, pois ele será nossa bússola para que o mesmo funcione de fato; a partir deste plano nosso museu passa a existir para o cenário da cultura regional. Houve um grande empenho por parte da Secretaria Municipal de Cultura e prefeito Cabelim, por isso estamos felizes e orgulhosos por mais esta conquista”, avalia Márcia Donato.
Além de Cravinhos também foram contemplados com o Plano os municípios de Franca, Botucatu, Mongaguá e São José do Rio Pardo.

Reportagem: Kennedy Oliveira

VISUALIZAÇÕES

  • 25,197 Visitas